terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Um resultado positivo com contribuição "não mencionada" das Guardas Municipais

Ao ler a matéria abaixo, publicada no Jornal Diário de São Paulo, verificamos que parte daquele trabalho deveria ser creditado às Guardas Municipais. Observe que nas regiões onde mais diminuiram os índices criminalidade existem nas cidades uma Guarda Municipal que atua armada combatendo a violência e enfrentando a criminalidade.

Um fato que comprova essa tese é a comparação que foi feita na matéria do Diário entre a Cidade de São Paulo e a do Rio de Janeiro, onde a Guarda Municipal atua desarmada, e os índices de criminalidade são maiores - tema já abordado pelo blog Os Municipais.

Leiam e comentem no Portal do Diário de São Paulo:

Grande SP puxa queda dos índices criminais

Roubos, furtos e homicídios caem em todo o Estado em 2010. Mortes em assaltos diminuem 16% na capital, após crescerem no ano passado

Tahiane Stochero
DIÁRIO SP
A região metropolitana foi a grande responsável por puxar a queda dos indicadores criminais do estado em 2010, quando São Paulo alcançou a menor taxa de assassinatos em sua história     - a marca ficou em 10,47 mortes por 100 mil habitantes. Para se ter uma ideia, no estado do Rio de Janeiro, o número é  de 29,8 por 100 mil.

Em São Paulo, desde 1999, a redução dos assassinatos chegou a mais de 70%, em números absolutos.

Em comparação com 2009, a queda de homicídios  dolosos (com intenção de matar) no ano passado, em relação a 2009, foi de 5%, na Grande São Paulo foi de 14%, segundo dados divulgados nesta segunda-feira pela Secretaria de Estado de Segurança Pública.

Os latrocínios (roubos com a morte da vítima) caíram 16,5% no estado e mais de 24% na capital, onde uma série de casos assustou a população nas zonas Sul e Leste no ano passado.

Roubos, furtos e roubos de carros também tiveram queda acentuada em toda São Paulo (veja arte), após o governo declarar guerra aos crimes contra o patrimônio, principalmente roubos a condomínios e de carros, que tiveram aumento durante todo o ano de 2009 e início de 2010.

Clique abaixo e veja os números em queda:



Na capital, também se destaca a queda dos roubos a banco, que diminuíram mais de 16% no ano passado. Outro indicador positivo é o  aumento das apreensões  por tráfico  em quase 10%, fazendo com que mais de 30 mil pessoas fossem detidas em posse de drogas.

O comandante da PM paulista, coronel Alvaro Batista Camilo, credita a queda dos indicadores ao trabalho  policial nas ruas e à tecnologia, que permite saber quais são as áreas e horários em que se deve ter maior atenção.  "Vamos completar até o fim do ano o efetivo total da PM (que deve chegar a 100 mil homens) e que hoje está defasado, principalmente no interior. Desde 2009 estamos com a formação de mais soldados e os primeiros locais em que haverá aumento da tropa é no interior", diz o comandante.

Segundo os dados do governo, 495 suspeitos morreram em confronto com a PM no ano passado (os chamados autos de resistência) - foram 524 em 2009, uma queda de 6%. Porém, houve aumento das mortes de suspeitos por policiais militares em serviços nas regiões de Bauru, Sorocaba, Piracicaba e Campinas, indicando aumento da criminalidade.
foto: Divulgação

Alckmin e secretário de Segurança (à esquerda) anunciam ampliação do bico oficial da PM para Sorocaba


?Amazônia? / Segundo o  chefe da PM na Grande São Paulo, coronel Wagner Cesar Gomes Tavares Pinto, a queda nos indicadores na região se deve à prota-resposta dos policiais, que estão presentes onde o crime pode ocorrer. O que permite isso é um programa de gerenciamento operacional construído pelos próprios PMs e chamado de Sistema de Análise Criminal (SACrim), vencedor do Prêmio Mário Covas de Gestão Pública no ano passado.
O sistema permite à PM saber exatamente onde a viatura deve ficar para impedir que o crime ocorra, diz o coronel Tavares Pinto, que comemora os índices da Grande São Paulo em uma "Amazônia verde".

Localizadores em todas as viaturas
A PM adquiriu 5 mil equipamentos rastreadores que permitirão aos comandantes saber a posição exata de viaturas e de policiais em motos e bicicletas. A previsão é de que até julho todo o efetivo operacional da corporação possa ser acompanhado em tempo real 24 horas pelo computador. O sistema já está implantado na Polícia Rodoviária Estadual e nos carros da PM no centro da capital.    

10
taxa de mortes por 100 mil apontada padrão pela ONU

Nenhum comentário:

Postar um comentário