domingo, 16 de janeiro de 2011

Resultado da enquete do Jornal Diário de São Paulo sobre o que pensam os leitores a respeito do "Bico" Oficial

Na data de ontem, sabado, 15 de janeiro de 2011, o Jornal Diário de São Paulo pediu que seus leitores opinassem a respeito de um questionamento, colocando duas alternativas de respostas com as seguintes situações:

O "bico" oficial da PM é a melhor alternativa para reforçar a segurança nas cidades?

  • Sim, é mais viável ter policiais trabalhando para a população ao invés de estarem a serviço da segurança privada em suas horas de folga
  • Não, o poder público deveria abrir mais concursos para PMs bem como reforçar as guardas civis
Na edição de hoje, domingo, dia 16 de janeiro de 2011, página 9, o Jornal trouxe o seguinte resultado:

35% opinaram que o bico oficial é mais viável, e 65% ficaram a favor de contratar mais policiais e reforçar as guardas municipais.

Confira em: http://www2.diariosp.com.br/flip/

____

Para quem não sabe, o "bico" oficial é uma medida adotada pela Prefeitura de São Paulo, onde o policial militar é contratado em seus dias de folga para fazer a função da Guarda Civil Metropolitana. 

11 comentários:

  1. Não precisa nem de pensar muito!!!é só ser um pouco inteligente!kkk

    ResponderExcluir
  2. Anônimo disse...
    AS ASSOSSIAÇOES DAS GUARDAS MUNICIPAIS TEM QUE TOMAR PROVIDENÇIAS SENDO QUE JA VIROU MODA E TAO QUERENDO FAZER EM TODO O BRASIL PREJUDICANDO OS GUARDAS MUNICIPAIS TIRANDO AS HORAS EXTRAS E O PREFEITO DE SAO PAULO CONTRATA POLICIAIS MILITARES DE SP PARA TRABALHAR NA HORA DE FOLGA E COM ISSO AOS POUCOS NAO CONTRATA MAIS GUARDAS E A PREFEITURA DE SP PAGA HORAS EXTRAS AOS PMS SENDO ASSIM O GOVERNADOR NAO DA AUMENTO AOS POLICIAIS E A PREFEITURA NAO DA AUMENTO AOS GUARDAS SENDO ASSIM UMA ENGANAÇAO E AINDA ESTAO DANDO IDEIA A OUTROS ESTADOS COMO O RIO QUE QUER FAZER TAMBEM COM ISSO OS GUARDAS FICAO SEM O BICO E OS PMS TRABALHAO TODOS OS DIAS SEM FOLGA A ONDE ESTA A JUSTIÇA DESTE PAIS

    ResponderExcluir
  3. Anônimo disse...
    O POLICIAL DO BRASIL TEM QUE LIDAR COM A SUJEIRA DA SOCIEDADE ELE TEM QUE SER MÉDICO SEM SER TEM QUE SER PSICOLOGO SEM SER TEM QUE SER ADVOGADO SEM SER TEM QUE SALVAR A VIDA DO PRÓXIMO E QUANDO É VITIMA E MORRE DAO UMA SALVA DE TIROS ENTERRAM E ESQUECEM DO DIREITO DA FAMILIA DO FALECIDO E ABAIXAM MAIS AINDA O PAGAMENTO DO HERÓI MORTO EM AÇAO SE ESSE HEROI SOBREVIVER E FICAR NA CADEIRA DE RODAS LOGO ESQUECEM ABAIXAM O PAGAMENTO E A FAMILIA DO HEROI PASSA NECESSIDADE SE O HERÓI FICA DOENTE E VIRA ALCOLATRA JA ESQUECEM DO HERÓI E MANDAO EMBORA SEM O TRATAMENTO DEVIDO E SE POR MILAGRE O HEROI CONSEGUIR APOSENTAR O QUE ELE GANHA POR SER HERÓI É ABAIXANDO O PAGAMENTO TIRANDO OS DIREITOS DA ATIVA E AINDA O HERÓI QUE APOSENTOU FICA DEVENDO PARA O BANCO E TEM QUE PEDIR DINHEIRO PARA COBRIR A CONTA E O GERENTE VAI PERGUNTAR PARA QUE O EMPRESTIMO É PARA COMPRAR CARRO CASA MOTO E AI VOCE RESPONDE É PARA PAGAR POR TER APOSENTADO E ABAIXARAM O PAGAMENTO COMO É DIFICIL SER UM HERÓI NESSE BRASIL É MAIS FACIL SER UM COVARDE GOVERNADOR OU UM DEPUTADO QUE NAO DA VALOR AO SER HUMANO E GANHA BEM vejam este video

    ResponderExcluir
  4. trabalho de PMs nos dias de folga, fardados e pagos pela Prefeitura de São Paulo, conhecido como "bico oficial" e que reduziu a criminalidade em áreas da capital como a Rua 25 de Março e a Avenida Paulista, pegou a Rodovia Presidente Dutra e chegou às praias do Rio de Janeiro.

    A ideia surgiu durante um encontro nacional de chefes da Polícia Militar de todo o Brasil em setembro do ano. "Fiz uma explanação dos resultados conseguidos aqui com a Operação Delegada (como é denominado o projeto) a 27 colegas comandantes de polícias e do Corpo de Bombeiros. Muitos se entusiasmaram", diz o comandante-geral da PM paulista, coronel Alvaro Camilo.

    13 de janeiro de 2011 06:15
    PROFESSOR JUSTOS disse...
    PARABENIZO ESTA ASSOSSIAÇAO DE PERMETIR ESSA VERDADE A RESPEITO DO BICO OFICIAL NA QUAL SÓ ENTERESSA AS GOVERNANTES E PREJUDICA AOS GUARDAS MUNICIPAIS E POLICIAIS MILITARES DE TODO O BRASIL OS POLICIAIS PRECISAM É DE AUMENTO DE SALARIO E A APROVAÇAO DO PEC DO ESTADO QUE IGUALA O SALARIO DE POLICIAIS DO BRASIL E OS GUARDAS MUNICIPAIS PRECISAM É DE AUMENTO E FUTURAMENTE O PEC DAS GUARDAS MUNICIPAIS DO BRASIL E NAO ESSA MENTIRA DE HORAS EXTRAS A POLICIAIS E PREJUDICANDO OS GUARDAS MUNICIPAIS AS PREFEITURAS QUE CUIDEM DE DAR AUMENTO DE SALARIO AS PROMOÇOES PARADAS E AUMENTE O EFETIVO E OS PMS QUE O ESTADO DE AUMENTO PAGUE OS PRECATÓRIOS ATRASADOS E DE AS PROMOCOES ATRASADAS E APOSENTEM OS POLICIAIS COM 25 ANOS DE SERVIÇO NA QUAL A JUSTIÇA MANDA E QUE OS PMS TRABALHE PARA O ESTADO E OS GUARDAS TRABALHEM PARA A PREFEITURA PAREM COM ESSA MENTIRA E QUE OS SINDICATOS ACABEM LOGO COM ESSA MENTIRA ANTES QUE ESSA MENTIRA VA PARA TODO O BRASIL EU CONFIO NESTA ASSOSSIAÇAO E SINDICATOS DOS GUARDAS DE TODO O BRASIL

    ResponderExcluir
  5. Gostaria de saber: Porque consideram à PM mais polícia que as outras,com privilégios,remunerações e conchavos políticos,sendo que aqueles que realmente são denominados POLÍCIA,não se pronunciam mas agem em conformidade com à Lei...as Polícias Judiciárias.E porque sendo elas ,PMs consideradas "Forças Auxiliares",não se subordinam ao Exército que são realmente MILITARES.São duas perguntas que muitos gostariam de obter respostas....

    ResponderExcluir
  6. JURAMENTO
    OS GOVERNADORES DEPUTADOS SENADORES DESEMBARGADORES JUIZES DEVERIAM DE COMPRIR O JURAMENTO DE PROTEGER A SOCIEDADE TAO SOFRIDA SÓ SP TEM3030 PEDIDO DE INTERVENÇAO NO ESTADO DE SP E NAO OBEDECEM AS LEIS DE NOSSO PAIS O POLICIAL MILITAR E CIVIL QUANDO APOSENTA ABAIXAM O PAGAMENTO O ESTADO NAO DA O AUMENTO ANUAL QUE ESTA NA LEI E OUTROS O STF NAO FAZ NADA O STE NAO FAZ NADA E DEIXA OS INFRATORES DAS LEIS SER CANDIDATO MESMO DESOBEDECENDO AS LEIS DANDO MAU EXEMPLOPARA TODOS E AONDE ESTA O JURAMENTOS SENHORES DEPUTADOS SENADORES JUIZES DESEMBARGADORES GOVERNADORES TEMOS QUE TER ORGULHO E NAO VERGONHA DAS AUTORIDADES DESSE BRASIL ACORDA AINDA DA TEMPO DE SALVAR O NOSSO BRASIL DESSA SUJEIRA SABEMOS QUE EXISTE PESSOAS DO BEM QUE VAI FAZZER SER OBEDECIDAS AS LEIS PARA OS POBRES E RICOS AFINAL DEUS EXISTE E TUDO PODE SER MUDADO PARA O BEM DE TODOS PARA OS POLICIAIS DO ESTADO E AOS POLICIAIS DO MUNICIPIO MERESSEMOS RESPEITO DE TODOS

    ResponderExcluir
  7. relator da ONU.
    Alston apontou como medida para melhorar a situação o aumento de salário na polícia e um controle mais amplo sobre o segundo emprego dos policiais.
    "Policiais deveriam receber salários significativamente maiores; quando fora de serviço, não deveriam, em nenhuma circunstância, serem permitidos de trabalhar em empresas de segurança privadas", afirmou

    ResponderExcluir
  8. DE SÃO PAULO - Os PMs que atuam na Operação Delegada, o "bico de segurança oficial" da corporação, estão com seus salários atrasados.
    O pagamento devia ter sido feito entre os dias 10 e 12, mas, até a noite de ontem, não estava na conta bancária dos policiais. O dinheiro sai dos cofres da Prefeitura de SP para a PM, que paga os policiais. A prefeitura informou que o pagamento foi feito ontem.
    Segundo o comandante-geral da PM, coronel Álvaro Batista Camilo, o atraso acontece por "questões burocráticas".
    A operação é uma parceria entre Estado e prefeitura na qual o PM, com arma e farda da corporação, é autorizado a trabalhar até nove horas diárias quando está de folga.
    Segundo a PM, há cerca de 6.400 policiais no "bico oficial". O orçamento de 2011 para a parceria é de R$ 100 mi.
    Caso atue 96 horas mensais (máximo permitido) na operação nas folgas, um PM pode ter um reforço de, em média, R$ 1.190 mensais no salário.
    Ao menos 20 policiais ouvidos ontem pela Folha confirmaram o atraso e pediram para não serem identificados.
    (ANDRÉ CARAMANTE

    ResponderExcluir
  9. municipais ficaram intrigados com o anúncio do prefeito Vitor Lippi (PSDB) sobre a intenção de firmar um convênio e pagar R$ 2 milhões anuais ao Estado para que policiais militares permaneçam mais tempo nas ruas de Sorocaba. O prefeito fez a declaração na quarta-feira (26) e, na quinta (27), o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais protocolou na Prefeitura um ofício questionando a intenção, com cópia para a Câmara Municipal. A Associação do Guardas Municipais de Sorocaba confirma que o clima é de preocupação, mas informa que, se há desmotivação, por enquanto, está imperceptível.


    A Prefeitura não manifesta-se sobre a preocupação dos guardas. Por meio de nota, a Secretaria de Segurança Comunitária (Sesco) informa que os detalhes sobre o convênio a ser firmado entre a Prefeitura e o Governo do Estado para ampliar o atendimento na área de segurança pública serão conhecidos no próximo dia 1º de fevereiro. O presidente do Sindicato, Sérgio Ponciano, critica o fato de, em momento algum, esse assunto ter sido discutido ou comunicado para a comissão que estuda a reestruturação da Guarda Municipal para valorizar o contingente. “Todos fomos pegos de surpresa. Um assunto de tamanha relevância deveria sim ter sido discutido previamente”, opina Ponciano, lembrando que a comissão de reestruturação sequer concluiu os estudos.


    O presidente do Sindicato diz que cerca de 40 guardas o procuraram opinando que serão substituídos em várias atividades, como nas tarefas de apoio ao setor de fiscalização e, principalmente, nas atividades de rua e eventos, como no Carnaval e Festa Junina. Também questiona de onde sairão os R$ 2 milhões, já que não constam no Orçamento de 2011 do município. “De onde virão os recursos? Do governo estadual, do federal ou de outras Secretarias? No orçamento da Secretaria de Segurança Comunitária não tem disponibilidade.”


    Sérgio Ponciano avalia que, com os mesmos R$ 2 milhões, daria para a Prefeitura fazer concurso público e contratar, no mínimo, mais 50 guardas, além de melhorar o piso salarial. Mas, ao invés disso, no orçamento para 2011 a Prefeitura reduziu em quase R$ 1,5 milhão as despesas com pessoal da Sesco. “Quais as razões que levam a administração municipal a celebrar esse convênio? Déficit no quadro de funcionários ou atividades que os guardas não podem desempenhar?”, questiona. O presidente do Sindicato insiste que o prefeito precisa esclarecer se os policiais militares substituirão os guardas ou farão outras atividades. Também pergunta como ficam as responsabilidades e competências profissionais em face de regimes estatutários e trabalhistas distintos entre os servidores municipais e os policiais militares.


    cortesia do professor justos unidos somos fortes

    ResponderExcluir
  10. Convênio com PM gera intranquilidade
    Leandro Nogueira
    Notícia publicada na edição de 28/01/2011 do Jornal Cruzeiro do Sul, na página 5 do caderno A - o conteúdo da edição impressa na internet é atualizado diariamente após as 12h.


    Tamanho do texto (somente para monitor):
    Aumentar
    Diminuir Veja mais fotos desta matéria
    Erick Pinheiro / Arquivo

    O clima dos guardas municipais seria de tensão e expectativa com o convênio a ser firmado
    ImprimirEnviar por e-mailOs guardas municipais ficaram intrigados com o anúncio do prefeito Vitor Lippi (PSDB) sobre a intenção de firmar um convênio e pagar R$ 2 milhões anuais ao Estado para que policiais militares permaneçam mais tempo nas ruas de Sorocaba. O prefeito fez a declaração na quarta-feira (26) e, na quinta (27), o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais protocolou na Prefeitura um ofício questionando a intenção, com cópia para a Câmara Municipal. A Associação do Guardas Municipais de Sorocaba confirma que o clima é de preocupação, mas informa que, se há desmotivação, por enquanto, está imperceptível
    isso é uma vergonha prof justos

    ResponderExcluir
  11. Associação da GM


    O presidente da Associação dos Guardas Municipais de Sorocaba, Celso Ferraz, diz que aguarda informações sobre as áreas em que os militares vão atuar e afirma que os guardas não podem mais se apegar às horas extras. “Precisam de aumento real nos defasados salários”. Sem as horas extras, o atual vencimento é de R$ 1,2 mil, sendo R$ 600,00 referentes ao salário e outros R$ 600,00 como gratificação por exercerem serviços de polícia. Ferraz revelou que recebeu várias ligações de guardas preocupados com o convênio, questionando de que forma poderá prejudicá-los. “Acho que não vai prejudicar. Precisamos é de aumento real.”, reivindica o presidente da Associação

    ResponderExcluir