terça-feira, 13 de abril de 2010

Homicídios crescem 12% no 1º trimestre

Assassinatos na capital subiram de 315, em 3 meses de 2009, para 353 neste ano, interrompendo tendência de queda registrada há 10 anos

Os assassinatos voltaram a subir na cidade de São Paulo após uma tendência de dez anos de queda.

Dados da Secretaria da Segurança Pública (SSP) revelam que houve 353 homicídios na capital durante o primeiro trimestre deste ano, número 12% maior do que os 315 do mesmo período de 2009.

Segundo as estatísticas obtidas pelo jornal O Estado de S. Paulo, esse tipo de crime cresceu nas oito seccionais de polícia, em todas as cinco regiões da capital.

Os dados integram o Infocrim, o sistema eletrônico de informações da SSP.

No caso da zona norte, a média mensal de assassinatos foi 18% maior do que nos meses do ano passado.

Santo Amaro, na zona sul, teve registro de 27 homicídios por mês, 13% a mais do que no mesmo período de 2009. No ano passado, a capital registrou queda de 2% de homicídios em relação a 2008. No Estado, a queda foi de 3%, de acordo com a SSP.

O crescimento, no entanto, ainda não indica uma nova escalada na violência na cidade, como a que ocorreu entre 1975 e 1999, período em que as taxas de homicídio na cidade passaram de 8 por 100 mil habitantes para 53.

Com o aumento dos homicídios no primeiro trimestre, a taxa subiu para 12,7 ocorrências por 100 mil habitantes. lhomicídios foram registrados no 1º trimestre deste ano na capital, segundo o Infocrim.

Superlotação de presídios sobe 43% desde 2006

Os 147 presídios do Estado de São Paulo apresentaram um aumento de 43,78% na superlotação desde 2006. Naquele ano, presos em celas com mais detidos do que o adequado somavam 40.174. Atualmente, são 57.765 presidiários nessa situação, segundo dados da Secretaria de Administração Penitenciária obtidos pelo jornal Agora São Paulo.

O Estado promete entregar sete novos presídios neste ano.

Mortes em conflito com a polícia aumentam 52%

Os casos de resistência seguida de morte, ou seja, quando há tiroteio entre policiais e bandidos, cresceram 52% em janeiro e fevereiro, se comparados aos do primeiro bimestre de 2009. As ocorrências subiram de 92 para 140.

A maioria (114) dos casos foi registrada em conflitos com policiais militares em serviço. As outras 26 vítimas morreram em confrontos com policiais militares em folga.

Já o número de agentes da Polícia Militar assassinados cresceu de sete, no primeiro bimestre do ano passado, para 11 no mesmo período deste ano. O aumento dos casos de resistência seguida de morte é um dos crimes que mais preocupam a Ouvidoria da Polícia do Estado, que tem se reunido com entidades de direitos humanos para discutir o tema, segundo O Estado de S. Paulo.

Furtos caem

51% na região central em 2010

A média mensal de furtos registrados nas delegacias do centro no primeiro trimestre caiu 51% em relação ao mesmo período de 2009. Foram, em média, 1.693 casos por mês, ante 3.478 no ano passado. Os de roubo caíram 22%.

Os dados integram relatórios feitos depois que a Polícia Militar passou a coibir a formação de comércio irregular na rua 25 de Março, em dezembro. Contudo, os bandidos que antes atuavam na rua têm se espalhado para outros pontos, como a rua Direita.(grifo nosso)

Região da 25 de Março: queda dos furtos após fiscalização da PM
flávio melgarejo/destak


Nenhum comentário:

Postar um comentário