quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Artigo - Todo Império Sempre Cai - Autor: Gilson Menezes




 Inspetor Gilson Menezes

Foi-se o tempo em que as oligarquias em nosso país davam as cartas e simplesmente não obtinham respostas pelos seus feitos, hoje verificamos que a sociedade brasileira por mais passiva que seja já não suporta mais conviver com problemas que não só a perturbam, mas que tiram por completo a esperança de uma vida melhor, como é o caso da Segurança Pública que erroneamente chamamos de Segurança Pública, pois se analisássemos de forma mais contundente o seu perfil diríamos sem medo que vivemos sob a tutela da Insegurança Pública, e somente não dizemos isso por sermos politicamente corretos, todavia, para àqueles que quiserem questionar essa linha de pensamento basta realizar pesquisas a respeito e observar que a problemática não está regionalizada, e sim espalhada em todo território nacional, só não estando pior porque as prefeituras resolveram investir nessa área, porém, tão somente isto não basta, não podemos correr o risco de termos ilhas de tranqüilidade, se é isso que existe, e não creio que seja, está na hora de trabalharmos verdadeiramente para construir uma política efetiva de Segurança Pública que seja pró- ativa e acima de tudo respeitadora dos direitos humanos.

Diante da necessidade da busca dessas mudanças, o advento da 1ª Conferência Nacional de Segurança Pública acontece para dar a resposta que somente uma sociedade pautada nas raízes da democracia poderia dar, e isso foi comprovado quando se estabeleceu uma discussão nunca ocorrida em nossa sociedade, poderia ser uma conferência que contasse apenas com os especialistas de plantão e com os gestores das instituições de segurança, porém, como já é sabido sempre foi assim, e exatamente por isso continua a não dar certo, por esse fato a 1 ª Conferência vem para romper esse círculo vicioso abrindo as portas para a sociedade brasileira participar das discussões com todos os envolvidos. O mais interessante é que a sociedade civil que durante tanto tempo foi alijada desse processo, foi a que mais contribuiu por meio de uma lucidez que muitos gestores deveriam ter, mas que infelizmente por conta da defesa de um monopólio oligárquico na área, não conseguiram entender que quem dá as cartas deveria ser sempre o cidadão.

Esse modelo imperialista que impõe ao cidadão tão somente a responsabilidade de pagar a conta e nada mais, ao longo das discussões foi se esfacelando dando mostra que a nossa sociedade o encara com tamanha contrariedade, pois sofre na pele com o péssimo atendimento oferecido e acima de tudo com a pronta resposta desqualificada desse modelo, dá provas que já deveria ser modificado há muito mais tempo, portanto, urge a muito um novo modelo de segurança pública em nosso país, sendo que sua base de sustentação deveria se pautar no resgate aos direitos de qualquer cidadão, inclusive dos trabalhadores da área, que sequer ao longo da história foram ouvidos anteriormente, pois durante décadas foram doutrinados tão somente a cumprirem ordens, sejam elas eficientes ou não, diante do rompimento desse círculo, se estabelece um novo paradigma já na própria discussão, enriquecendo e credibilizando de todo o trabalho, que não poderia trazer outro resultado que não fosse a mudança dessa engrenagem, a começar colocando os municípios em um patamar de respeitabilidade que lhe devido, pois não pode ele, tão somente ser importante apenas para pagar a conta de um sistema arcaico e falido, é chegada a hora de se fazer Segurança Pública com seriedade, onde o povo possa ter participação, e mostrar que quer tão somente ser bem atendido, e principalmente poder ter confiança em seus órgãos de segurança coisa que hoje não acontece, e por favor que me desmintam os ofendidos.

Ao longo da história da humanidade muitos foram os domínios que se estabeleceram, mas todos eles caíram por mais que demorassem, logo esse exemplo nos mostra que todos os povos tiveram momentos de transformações de seus mecanismos sociais, não sabemos ao certo se as referidas transformações ocorreram por conta da vontade do povo ou por conta apenas da vontade política de seus governantes, ou de ambas, só podemos ter certeza absoluta de que elas ocorreram, e junto com elas profundas mudanças sociais, vivemos hoje um modelo de Segurança Pública que não atende os interesses sociais, mas que resiste em continuar sendo o que é por conta de um sentimento de pertencimento dos seus gestores que são os maiores interessados na sua manutenção, porém, tal qual caíram a maioria dos grandes impérios ao longo da história humana pelo mundo afora, o império da Segurança Pública brasileira também está com os seus dias contados, dando lugar a um novo modelo mais ágil e pró-ativo, atendendo de fato a sociedade e não aos interesses monopolistas de seus gestores, só não sabemos ainda se porventura essa transformação se dará pela exigência do povo ou pela inteligência da classe política, ou por ambas as coisas, entretanto, um fato é certo, esse império está ruindo e em questão de dias cairá.


Inspetor Gilson Menezes
Cmte. da Guarda Civil Municipal de Osasco
Presidente do Conselho Nacional das Guardas Municipais
Coordenador do Gabinete de Gestão Integrada Intermunicipal da Região Oeste Metropolitana de SP
Coordenador do Conselho Municipal de Segurança Urbana da cidade de Osasco
Membro da Comissão Organizadora da 1ª Conferência Nacional de Segurança Pública
Secretário Geral do Conselho Estadual de Secretários e Gestores Municipais de Segurança do Estado de São Paulo
Membro da Comissão Provisória do Conselho Nacional de Segurança Pública (CONASP )
Graduado em Letras e Pedagogia
Pós Graduado em Literatura Moderna e Contemporânea e em Segurança Pública
Acadêmico do curso de Ciências Jurídicas
Prof. do Ensino Superior

9 comentários:

  1. Motivo de orgulho ter uma pessoa com uma visão tão ampla no campo da seg. pública como este oficial da Guarda Municipal um dia as mordaças serão rompidas sendo o cidadão tratado como cliente que é e não como marginal como acontece nos dias de hoje.

    ResponderExcluir
  2. Motivo de orgulho ter nos quadros da Guarda municipal um oficial com uma visão tão ampla com relação a seg. pública um dia as mordaças serão rompidas onde o cidadão será tratado como cliente que é e não como um inimigo e ser enfrentado como nos dias de hoje leiam os jornais e vejam quantos inocentes mortos por aqueles que deveriam protege-los.

    ResponderExcluir
  3. Motivo de orgulho ter nos quadros da Guarda municipal um oficial com uma visão tão ampla com relação a seg. pública um dia as mordaças serão rompidas onde o cidadão será tratado como cliente que é e não como um inimigo e ser enfrentado como nos dias de hoje leiam os jornais e vejam quantos inocentes mortos por aqueles que deveriam protege-los.

    ResponderExcluir
  4. Motivo de orgulho ter nos quadros da Guarda municipal um oficial com uma visão tão ampla com relação a seg. pública um dia as mordaças serão rompidas onde o cidadão será tratado como cliente que é e não como um inimigo e ser enfrentado como nos dias de hoje leiam os jornais e vejam quantos inocentes mortos por aqueles que deveriam protege-los.

    ResponderExcluir
  5. Visão futurista e ampla da atual situação da seg. pública no Brasil em um futuro muito proximo as mordaças serão rompidas sendo o cidadão tratado como cliente que é e não como um inimigo a ser enfrentado leiam os jornais e vejam quantos inocentes mortos por aqueles que deveriam protege-los.

    ResponderExcluir
  6. E também o fundador da Inspetoria, ou melhor Superintendência de Fiscalização. Faltou nos seus crédito.

    ResponderExcluir
  7. rjlaudino@hotmail.com31 de outubro de 2009 11:24

    Grandes impérios cairam porque não tiveram competencia,técnica, operacional,e administrativa para administrar e gerenciar seus exercitos que a exemplo de muitas policias, estão se tornando um elefante branco e não conseguem acompanhar a evolução e o clamor da sociedade.
    Parabens!

    Laudino

    ResponderExcluir
  8. É motivo de orgulho ter conhecido, convivido, aprendido com esse HOMEM que sempre lutou em prol da GCM-SP. Homem comprometido em atender o anseio do munícipe, investiu muito no antigo GEPAD para encontrar uma resposta adequada para auxiliar as "crianças e famílias" a não serem vítimas da drogadependência. Parabêns amigo, irmão. Deus tem te abençoado pelo seu testemunho.
    Lembre-se do exemplo bíblico: "Daniel chegou ao topo porque não decidiu não vender-se e comer dos manjares do rei".
    Pastor e Inspetor da GCM-SP MILANEZ

    ResponderExcluir
  9. Boa Noite, gostaria de saber se algum GCM da capital de são Paulo poder ser colocado em escala para trabalhar nas base comunitarias com mais 4 gcms armados sendo o 5 gcm desarmado, isso mesmo sem arma de fogo so com gas pimenta e tonfa. No aguardo, obrigada Priscila

    ResponderExcluir