quarta-feira, 28 de outubro de 2009

POESIA: O GUARDA CIVIL - Por GCM 1ª Classe NELSON MANSO FILHO - Enviada pela Inspetora Isabela, a quem agradecemos


Ser aliado, protetor e amigo

Eis sua sina,
Eis meu dever,
Eis sua razão de viver!


Contemplando o solo sagrado,
Desta cidade que murmura
Em desigualdade!
Os aflitos em pranto
Pedem socorro.
A coragem daquele,
Que sem muito esforço
Se entrega ao desconhecido.


Ó Guarda Civil Metropolitana,
Em bravura se escreve...
A Grandeza e a Certeza
Que se mostra em Belo Azul
Nas regiões de Norte à Sul!


Quantos pedidos de socorro
Conseguistes sufocar;
Quantas nobres razões,
Conseguistes conciliar!
Quantas dores em agonia,
Em palavras de acalanto
Trouxe fim ao tormento!


Jamais abandonastes ao confronto!
Lutastes em desigualdade,
Ao inimigo que em guerra inicia.
Mas, perante a coragem do Guarda,
Foge em covardia!


Sempre avante vai o Destemido!
Protegendo ao mais humilde, ao mais nobre.
Não importas quem seja, Cumpre sua missão em prol
Daqueles que clamam por justiça,
Por igualdade, por valores, por deveres.


És tu Guarda Civil,
Orgulho desta cidade.
És tu Guarda Civil,
Orgulho do meu BRASIL!

GCM 1ª Classe  NELSON MANSO FILHO

Um comentário: